Reading:
Sou líder, mas não consigo engajar a minha equipe. O que posso fazer?

Sou líder, mas não consigo engajar a minha equipe. O que posso fazer?

Mônica Santos
7 de junho de 2017

O ser humano é a alma de qualquer negócio. Isso é tão óbvio que soa às vezes irritante reforçar o quanto as pessoas são importantes para o sucesso de qualquer empresa. A forma como uma equipe é tratada influencia diretamente no seu desempenho, determinando a produtividade e a qualidade dos serviços prestados pela empresa.
Não precisa ser um especialista para compreender que é muito melhor ter uma equipe engajada e motivada. Mas por que nos dias de hoje essa é uma realidade difícil de se ver? Por que hoje as pessoas não vestem a camisa como antes? O que os líderes podem fazer para engajar essa nova geração? Se você é líder e não está conseguindo fazer isso acontecer na sua equipe, nossas dicas abaixo podem ser muito úteis.
Como o engajamento de funcionários acontece? 
Engajar significa criar um vínculo de comprometimento, que vai além da obrigação e do envolvimento. Tanto um quanto o outro não implicam capricho, afeto ou paixão (elementos encontrados no comprometimento e engajamento). Pelo contrário, geralmente, a pessoa contratada faz a função esperada do cargo, às vezes, o que mandam e outras que convém. Este é um movimento totalmente contrário do engajamento, uma vez que é de fora para dentro.
Existem muitas maneiras de engajar pessoas. Além daqueles pontos essenciais como salário justo e bom clima de trabalho, foi-se percebido e confirmado que alguns elementos de uma cultura organizacional humanizada e sistêmica contribui muito para transformar funcionários em colaboradores – de dentro para fora e de forma verdadeira e sustentável.
Com uma liderança inspiradora
A escolha de um líder ou gestor faz toda a diferença no comportamento da equipe. Na hora de contratar alguém para ocupar um cargo de liderança, seja por recrutamento interno ou externo, verifique se sua personalidade possui compatibilidade com o estilo de liderança que a cultura da empresa necessita.
Lógico que estamos falando de uma cultura de princípios, colaborativa, ética, inovadora e com propósito maior que o lucro. Cada vez mais pessoas têm despertado que não vale a pena viver para trabalhar para ter ou parecer que tem! Pessoas da nova geração têm procurado sentido e significado, muito mais do que status e dinheiro.
Uma liderança inspiradora é exemplo de princípios e orienta uma visão para propósito. Quando princípios e propósitos individuais encontram princípios e propósitos da empresa, o engajamento e o comprometimento são inevitáveis. A liderança, por sua vez, é a ponte e o porta-voz dessa cultura e quando é exemplo multiplicador, ela sustenta os talentos e une as diferentes competências para atingir um objetivo comum.
Encontre um trabalho que faça sentido
A missão da empresa revela o seu propósito – porque e para que ela existe. Quando sustentado pelos princípios e valores compartilhados formam sua cultura, sua identidade. Trabalhar em uma empresa consciente facilita o engajamento, assim como encontrar um trabalho que tem a ver com a cultura pessoal – o jeito de ser o propósito de cada um.
O trabalho precisa ser revisto, assim como sua relação. Ele é um catalisador de potencialidades. É através do trabalho que se encontra, muitas vezes, sentido e realização na vida. Cada vez mais trabalhos automáticos serão realizados por máquinas e o ser humano terá que reinventar novos e mais significativos trabalhos.
A máquina está muito longe de substituir o processo criativo e o afeto na relação, desta forma, inovação e atendimento são diferenciais no trabalho e precisam ser investidos e desenvolvidos.
Você sabe qual é o seu talento? O que ama fazer, tem facilidade, tem credibilidade, experiência, história? Conhecer-se é fundamental para descobrir qual o trabalho que é significativo. Se você gosta de pessoas e de se relacionar precisa de um trabalho que lhe proporcione isso, caso contrário os preços serão caros pela insatisfação da alma.
Investindo em capacitação e desenvolvimento pessoal
Existe uma cultura de desenvolvimento contínuo e evolução nas empresas conscientes. Além de empregar pessoas, as empresas proporcionam a oportunidade de crescimento e qualificação, tanto pessoal quanto profissional. Palestras, eventos e cursos são instrumentos essenciais para quem busca o engajamento completo de funcionários.
Muitas vezes o ganho do engajamento é superior ao investimento em desenvolvimento. Por outro lado, já se foi provado ( ver infográfico comprometimento) que os custos da falta de engajamento são caríssimos.
Tão importante quanto esses momentos, é a cultura de feedback. E, quanto mais feedback melhor. Para isso abertura, escuta e acompanhamento é fundamental.
Crie um ambiente de trabalho agradável e criativo
Muito mais do que puffs coloridos e enfeites divertidos com frutas a tarde entre outras coisas bem legais, é preciso provocar uma disruptura interna para projetar, de forma verdadeira, a espontaneidade, a criatividade e as novas conexões no ambiente externo.
Acompanhe esse desenvolvimento com indicadores
Quando a empresa tem metas, estratégias e ações com indicadores, os resultados do engajamento aparecem mais facilmente.
Tem uma outra dica para contribuir? Mande sua mensagem e compartilhe com alguém que possa se beneficiar deste artigo!



0 Comments

Deixe uma resposta

Related Stories

14 de dezembro de 2017

Os oito pilares do clima organizacional

6 de abril de 2017

6 vantagens de se falar a verdade no meio corporativo

5 de dezembro de 2016

Como gerenciar faltas e atrasos no trabalho?

Arrow-up