Reading:
Como identificar um líder tóxico

Como identificar um líder tóxico

Mônica Santos
11 de abril de 2017

Mesmo sendo muito profissional, ética e competente, uma pessoa sempre pode acabar assumindo comportamentos tóxicos dentro de uma organização. Afinal, ninguém é perfeito e, como tal, tem-se luz e sombra. Por isso, em vez de apenas apontar uma pessoa tóxica, vamos falar sobre atitudes tóxicas e seus perigos dentro e fora da empresa. Líderes que têm este comportamento destrutivo tendem a arruinar uma equipe e, muitas vezes, uma empresa inteira.
É muito comum a expressão “maçã podre” e sim, existem pessoas com alto nível de toxidade e existem líderes que já não acreditam mais na recuperação destes indivíduos. As atitudes negativas grudam na identidade da pessoa e é aí que entra o julgamento. Como já dissemos no artigo 5 Maneiras de Estragar o Clima Organizacional, de nada adianta ter missão e valores se eles não são praticados no dia-a-dia.
Se um colaborador tóxico pode prejudicar o desempenho de uma equipe, um líder tóxico pode potencializar ainda mais os efeitos nocivos, propagando suas consequências na equipe e até provocando um clima totalmente desagradável no ambiente de trabalho. Quando olhamos por esse prisma sob o rótulo de pessoa tóxica, rapidamente perdemos as esperanças e o desejo mais comum é de se livrar desse engodo. Mas quais são as atitudes que fazem uma pessoa se tornar tóxica e prejudicar tanto o que esta ao seu redor?
Saber identificar essas atitudes e quem são essas pessoas é muito importante. Principalmente se for na seleção! Mas se não for o caso e passar pela seleção, saiba como identificar esse comportamento através de uma série de indícios. Separamos algumas características tradicionais de um líder tóxico. Confira:

5 Atitudes de um líder tóxico

1. Falta de respeito

Líderes tóxicos frequentemente faltam com respeito com as pessoas ao seu redor, desde o tom da conversa até o seu conteúdo propriamente dito. Muitas vezes esse líder acaba submetendo seus colaboradores a situações humilhantes, chegando a casos de sérios abusos.
Desde atitude simples como não chamar pelo nome, inventar apelidos, não cumprimentar, falar mal da pessoa para os outros, chamar atenção na frente da equipe, fazer brincadeiras que desagradam ou humilham, gritar, cobrar com ameaças, são alguns exemplos.
Quando um líder começa a oprimir em vez de motivar a sua equipe e lidera pela imposição de regras, a equipe e a empresa como um todo são prejudicadas. Além disso, na maioria dos casos, esse comportamento acaba causando situações de racismo, homofobia, machismo ou qualquer outra forma de preconceito e intimidação.
Nesses casos, as cobranças deixam de ser profissionais e invadem o espaço individual e pessoal, ocasionando desmotivação, doenças, faltas e alto turn-over.

2. Comunicação agressiva

Em casos menos graves que o anterior, líderes tóxicos assumem uma comunicação agressiva, o que também acaba minando o ambiente de trabalho. Nessas ocasiões, o líder acaba oprimindo opiniões alheias e demonstrando descaso com o conhecimento dos seus companheiros de trabalho.
Há uma ausência de feedbacks e diálogos construtivos porque, na maior parte do tempo, essas trocas só acontecem quando algo vai mal ou quando é necessário cobrar resultados.

3. Abuso de poder

A falta de controle emocional também indica um comportamento do líder tóxico. O problema é que isso pode incidir em assédio moral, tornando-se um comportamento desumano e continuado.
Nesse caso, existem inúmeros riscos para o colaborador, desde a desistência do trabalho frente às pressões morais e psicológicas, perda significativa da qualidade de vida e até a ocorrência de algum trauma, chegando a provocar síndromes ou quadros de estresse e depressão.
Esse é um comportamento que pode surgir da insegurança e insensibilidade do líder, que exprime suas necessidades e seus anseios através de ações agressivas.

4. Protecionismo

Uma das atitudes mais desmotivadoras e que contaminam o ambiente de trabalho é o protecionismo. Isso porque existe uma garantia maior de segurança e estabilidade ao colaborador que pode causar algum benefício ao líder, seja de status, financeiro ou moral.
No caso desse tipo relação de poder, existe a submissão dos interesses da empresa em detrimento de conveniências ao líder, ou seja, um interesse pessoal.

5. Omissão de informações

A omissão de informações – ou mesmo as “mentirinhas” – transformam o ambiente de trabalho em algo hostil. Essa é uma das atitudes que mais alimentam desconfiança entre líder e equipes.
Normalmente, as informações são omitidas quando existe a tentativa de manter o controle e o poder sobre as pessoas, de modo que o líder se sinta ameaçado sempre que divide os conhecimentos que possui com os demais. Por isso é preciso agir com maturidade e transparência, optando por uma comunicação clara e efetiva.

Como agir diante de um líder tóxico?

É importante lembrar que todo colaborador possui suas competências e habilidades. Por isso, optar pelo desligamento do profissional é apenas “livrar-se de um problema”, sem considerar os prós de manter o colaborador na equipe.
Lideranças são figuras importantes para a cultura da empresa, pois ditam sua forma de trabalho e servem para inspirar as equipes. Por isso, talvez seja melhor investir na capacitação e desenvolvimento desse profissional e no seu alinhamento junto às estratégias da empresa, em vez de simplesmente demiti-lo.
Essa pode ser uma tarefa bem desafiadora, não é mesmo? Acha difícil conseguir reverter a situação? Entre em contato conosco, envie suas dúvidas e vamos descobrir como solucionar seus problemas com o líder tóxico!



0 Comments

Deixe uma resposta

Related Stories

7 de maio de 2016

Medo no ambiente de trabalho: 4 formas de superá-lo!

5 de dezembro de 2016

Como gerenciar faltas e atrasos no trabalho?

Arrow-up