Reading:
Como desenvolver empatia e melhorar as relações de trabalho.

Como desenvolver empatia e melhorar as relações de trabalho.

Mônica Santos
13 de fevereiro de 2017

Empatia deriva do termo grego “empátheia”, cujo significado é “entrar no sentimento”. Portanto, quando dizemos que temos empatia por alguém, quer dizer que sabemos nos colocar no lugar daquela pessoa, entendendo seus sentimentos e emoções.
Num mundo carente de sentimentos genuínos e com a maior parte da população analfabeta emocional (que ainda acha que “chorar” é sinal de fraqueza!), é preciso não só rever crenças limitantes e desumanas, como desenvolver sensibilidade e empatia.
Entrar no sentimento do outro é poder tocar sua alma. Um ato poderoso, curador e transformador, a empatia é a força da sensibilidade, o resgate da essência da humanidade. Um movimento que cada vez mais, empresas humanizadas estando aderindo.
Nas empresas contemporâneas, a empatia tem se tornado um requisito fundamental para as relações de trabalho. De acordo com especialistas em gestão de pessoas, é importante que um líder saiba se colocar no lugar de seus colaboradores ao solicitar uma tarefa difícil de ser executada, por exemplo. O mesmo acontece com os colaboradores, que devem saber interpretar as emoções do líder e entender que, para ele, tomar certas decisões também não é uma tarefa fácil.
Além de requisito profissional, empatia é essencial para relações saudáveis. Roman Krznaric, phd em sociologia, pensador cultural e fundador da “The school of life” (Escola da vida) e autor do livro: Como encontrar o trabalho da sua vida” afirma que “colocar-se no lugar do outro é uma verdadeira revolução”. Por que não dizer evolução?

De que forma a empatia interfere nas relações de trabalho?

Já é sabido que o velho modelo de gestão verticalizada está defasado. Aquela estrutura hierárquica de pirâmide  — onde lá no topo ficava a alta cúpula estratégica administrativa e, nos andares a seguir, gradativamente, os cargos mais baixos tem diminuído cargos e aproximado as pessoas, se transformado em uma nova estrutura com uma hierarquia organizacional mais horizontal. Todos estão no mesmo nível de importância, e um operário não é impedido de falar com um grande gestor. Existe hierarquia, mas com mais proximidade, respeito e liberdade de expressão.
Hoje em dia, todos precisam ser estratégicos e estarem alinhados com o mesmo e claro objetivo. É por isso que os diretores precisam investir em uma relação mais transparente e empática. Uma liderança que entende as necessidades de seus liderados, como o desejo de ascender profissionalmente ou com uma dificuldade específica de entrega, tem muito mais condições de exercer um bom trabalho e liderança. Por outro lado, um membro de uma equipe que se coloca no lugar de seus pares e líder consegue trabalhar melhor em equipe e buscar um objetivo comum.

Como alcançar a empatia?

Por mais que seja algo interno, assim como uma crença, um sentimento ou um posicionamento de vida, a empatia pode ser uma questão de hábito e, mais importante, pode ser cultivada! Se você deseja ampliar e melhorar suas relações, não só do trabalho, seguem algumas dicas de Krznaric. (mas relaxe, complicado só o nome!)

Cultive a curiosidade diante dos estranhos

As pessoas altamente empáticas tem uma curiosidade enorme sobre o outro. Esse interesse genuíno é um passo importante e simples. Quem não conhece aquelas pessoas que puxam assunto com pessoas que nem conhecem? Puxar assunto com perguntas sobre o outro e sua vida demostra interesse e continuar perguntando comunica o quanto o outro é único e interessante.
No caso do trabalho, ainda se tem um estigma de que o lado pessoal deve ficar lá fora. Além de esquizofrênico, é frio e não funciona mais. Uma relação saudável precisa de vínculos e é o interesse e o conhecimento do outro por trás das perguntas que se cria empatia.

Desafie preconceitos e procure coisas em comum

Os rótulos e os julgamentos são a maior distância que podemos criar entre as pessoas. Não só nos impede de encontrar afinidades quanto nos impede de apreciar particularidades de cada um. O preconceito cria uma relação ilusória de sujeito x objeto; certo x errado; bom x mau e, lógico que quem julga sempre estará no lado do sujeito certo e bom!
Conhecer pessoas diferentes desafia seu ego e superar essas diferenças te ajuda a evoluir. Entenda evolução como a superação de antigas “verdades”.  Aproxime se daquele que mais te incomoda e procure conhecer mais sobre essa pessoa. Com certeza ela te ajudará a conhecer mais sobre si mesmo!

Autoconhecimento

Para alcançar a empatia uma pessoa deve, primeiramente, se conhecer bem. Afinal, é impossível reconhecer os sentimentos dos outros se não conhecermos os nossos próprios sentimentos. É comum, no entanto, que algumas pessoas tenham dificuldades para interpretar suas emoções. Se isso acontecer com você, é aconselhável o acompanhamento de um psicólogo ou profissional que lhe ajude com essas questões.
Tendo conhecimento de nossas próprias emoções, é preciso que resguardemos nossos próprios valores para conseguirmos focar a atenção nas emoções do outro, tentando entender a sua necessidade e o seu ponto de vista sobre determinado assunto ou situação. Isso não quer dizer que você precisa concordar com tudo o que o outro pensa, mas sim entender porque ele pensa dessa forma e respeitá-lo. Agindo com empatia e tomando as decisões em comum acordo, todos saem ganhando.

Ouça muito e se abra

Saber ouvir, hoje, é um dos grandes talentos, que exige um grande desafio: estar aberto. Não só pela questão de sair do próprio umbigo, mas s sentir seguro e confortável para se expor.
Abrir-se exige segurança, confiança, humildade e generosidade. Segurança quanto a própria humanidade e vulnerabilidade, confiança no outro para se revelar, humildade de mostrar-se aprendiz e interessado em saber mais e generoso em oferecer seu tempo e atenção (que cada vez mais tem sido reconhecido importante!). Uma tia minha diz que ouvir é caridade! Quantas pessoas precisam de ser escutadas para se sentirem reconhecidas.

Diversidade de opiniões

Procure a diversidade. O diferente é rico, complementar. Ao invés de seguir o ego, buscando pessoas iguais a você, faça o contrário! Busque trabalhar com pessoas diferentes de você. Conheça sua diversidade, entenda seu jeito de pensar, a partir de que viveu. Elimine julgamentos, exercite o respeito pelo diferente e aprenda a trabalhar em conjunto.
Empatizar com a adversidade também é um caminho para a tolerância social, assim afirmou Gandhi durante os conflitos entre muçulmanos e hindus, que levou a independência da India em 1947. Gandhi, causou uma comoção em seu discurso quando disse: “Eu sou um muçulmano, eu sou um hindu, eu sou um cristão, eu sou um judeu.” Encontrar um núcleo comum entre as diferenças, ajuda-nos a reconhecer a própria humanidade.

Regra de ouro

Faça o uso da regra de ouro, ou seja, faça ao outro aquilo que gostaria que fizessem com você. Sempre que for tomar alguma atitude, pense sobre como você se sentiria se estivesse no lugar da pessoa que será atingida.
E então? Está pronto para trabalhar a empatia na sua empresa? Vale a pena tentar! Temos certeza de que as relações de trabalho se tornarão muito mais ricas e produtivas. Afinal, a empatia nos ajuda a conviver de forma saudável e madura.
Gostaria de compartilhar alguma história, receber mais informações ou ampliar seus elos? Cadastre-se na Elos 360



0 Comments

Deixe uma resposta

Related Stories

8 de maio de 2020

Liderança em novos tempos

30 de novembro de 2016

Relações de poder no trabalho: como lidar?

Arrow-up