Conheça os benefícios do autoconhecimento | Elos360
29 de janeiro de 2019 monica santos

Conheça os benefícios do autoconhecimento e saiba porque fazer a própria biografia é tão importante.

benefícios do autoconhecimento

Quem disse que biografia é coisa de gente famosa? Conhecer ou escrever a própria biografia, ou seja, a história de sua vida, é um processo riquíssimo de autoconhecimento. Por si só, já é um benefício, uma vez que, além de trazer consciência, esta retrospectiva de vida, quando olhada e trabalhada com profundidade e abertura, pode oferecer inúmeras possibilidades de aprendizado, cura e transformação.

Saiba porque fazer a própria biografia é tão importante!

Quando se olha para a linha do tempo percebe-se que o momento presente é  resultado das escolhas que fizemos do passado e que o futuro pode ser visto como o resultado das escolhas que fazemos no presente. 

Se conhecer a trajetória da vida ajuda reconhecer os pontos marcantes do passado, não faz sentido esta informação também ajudar na consciência, na transformação e na tomada de decisão para um futuro melhor? Se quer colher diferente, plante novas sementes!

Alguns benefícios do autoconhecimento

Quando fiz psicoterapia e a minha biografia, há um bom tempo atrás, percebi o quanto que as cenas marcantes do meu passado escondiam emoções e necessidades não atendidas que tiveram grande influência no meu jeito de ser que me causava limitação e sofrimento.

Ao olhar estas questões dentro de um processo terapêutico pude reconhecer características e comportamentos que não desejava mais e, com isso, desenvolver novos recursos e habilidades para uma transformação e um fortalecimento pessoal.

Minha gratidão pela sensibilidade, pelo convite e pelos recursos de meus pais é enorme, visto que o que sou hoje é resultado do que fiz com a minha história e com as experiências que tive e resignifiquei.

Consegui aproveitar as oportunidades que me foram oferecidas, disse sim para todos os convites de autoconhecimento e, em outros momentos de vida, criei outras oportunidades para o meu próprio desenvolvimento e caminhar.

Sendo assim, que tal assumir mais um outro papel e avaliar a sua própria história de vida? Você está satisfeito com o seu presente? Você consegue aceitar e estar em harmonia com o seu passado? Gostaria de mudar alguma coisa para realizar algo diferente no futuro?

Estamos todos escrevendo e encenando a nossa história de vida. Consciente ou não, a história de cada um nos conta as tramas, os dramas, as conquistas e as superações.

Assim como num filme, ela pode ser uma jornada do herói, uma repetição de histórias passadas de outras gerações, uma aventura, um suspense, um romance, um pouco de cada estilo ou outros (dependendo dos movimentos internos e externos de cada roteirista-diretor-protagonista da própria vida).

Assim como foi importante para mim fazer esta jornada interna com um acompanhamento profissional, sugiro investir no seu desenvolvimento pessoal e contratar um profissional capaz de ajudar neste processo tão profundo e delicado.

O trabalho biográfico 

A jornada da vida pode ser vista e resignificada dentro de um trabalho biográfico, ou seja, um processo de autoconhecimento a partir da criação de uma autobiografia subdividida em ciclos de 7 anos ou setênios, ciclos de vida com características específicas e esperadas a partir das fases de desenvolvimento humano.

A biografia, como é chamada, foi criada por Rudolf Steiner, um filósofo austríaco, artista sensível e educador muito à frente do seu tempo (1861-1925). Ele foi fundador da antroposofia, da pedagogia Waldorf, da agricultura biodinâmica, entre outras criações com base da integralidade do ser humano e da sua conexão com o Todo. 

Ela assemelha a psicologia do desenvolvimento que entende o que é próprio da idade e o que é peculiar de cada um. Dentro desta abordagem, acontecimentos comuns e gerais (esperados em cada fase) e situações específicas e particulares (vividos pela experiência individual) são relembrados, contados e retratados de forma artística ( para se usar os dois lados de cérebro – o racional e o emocional, assim como as dimensões consciente e inconsciente. 

Por exemplo, esperam se que as crianças comecem a falar em torno de 2 anos, mas existem crianças que começam a falar bem mais tarde. Existe, portanto, um componente específico e diferenciado que pode, ou não, impactar no processo de desenvolvimento. Ela passou por um trauma nesta época? Seus pais eram superprotetores e especialistas na tradução de suas necessidades? Aconteceu alguma coisa importante nesta fase de vida que pode ter tido uma relação com este atraso?

Na biografia, existe um olhar mais cuidadoso para as cenas mais impactantes de cada fase e quanto estes acontecimentos podem ser um bloqueador de potencial ou grande influenciador de vida.

Enfim, cada um é cada um e tem muita gente que sai da curva de expectativas e leva uma vida saudável sem complicações por conta de suas individualidades ou acontecimentos, outros, por sua vez, são impactados por questões que podem passar desapercebidas, mas causar grandes sofrimentos no momento presente. 

Um exemplo

Imagine um homem chamado Joaquim com 45 anos que sofre por não conseguir falar o que sente ou expressar suas necessidades. Ele decide se autoconhecer e fazer um trabalho terapêutico com a biografia e descobre que na primeira fase de vida, do nascimento aos 7 anos de idade, ele presenciou uma cena calorosa onde seus pais discutem e em seguida se separam. Como aquela criança pode ter interpretado aquela cena? Quantas crenças extremamente rígidas e limitantes podem ter sido criadas como mecanismos de defesa e sobrevivência emocional? 

Muitas cenas podem ser traumáticas e gerar bloqueios emocionais, assim como sintomas físicos e mecanismos de defesas inconscientes. Resignificar estas cenas ou pontos sombrios pode ajudar a recuperar o fluxo saudável e harmonioso e redirecionar o rumo da própria vida.  Isso é terapia, um processo de cura a partir de um novo olhar e de um novo jeito de ser e se relacionar com o mundo interno e externo.

Conhecer -se é, portanto, uma das viagens mais importante que precisa ser feita nesta vida. E para isso, exige-se humildade, coragem, esforço e persistência para encontrar o grande tesouro da sabedoria e do amor: fruto da nossa essência divina e comum. 

Muitos tem medo desta jornada, outros têm resistência e racionalizam (ou negam) suas necessidades internas. Independente de não querem entrar em contato com este mundo interno ou com o passado, uma coisa é certa: “aqueles que não conhecem sua história, tende a repeti-la”.

Seja histórias de gerações passadas, da qual o método da Constelação Sistêmica é extremamente eficaz e eficiente para quebrar padrões, ou seja, as repetições ou bloqueios da própria vida devido as faltas ou os sofrimentos não trabalhados ou resignificados. 

Quando se tem a coragem e dá se a importância para fazer e trabalhar na retrospectiva da própria vida, abrem-se várias possibilidades luminosas para uma grande transformação. Sendo assim, não adianta colocar a sombra por debaixo do tapete, ou uma pedra por cima do passado. 

O grande balizador para identificar os acontecimentos ou os pontos capazes de se transformarem em nós e impedirem o fluxo saudável da jornada da vida é o sofrimento. Muitas vezes, é ele ou a dor que leva o indivíduo à procurar ajuda. Pouquíssimas pessoas vão pelo amor, pelo preventivo ou pela consciência e vontade de desenvolver e evoluir. 

Todas as fases têm o seu lado bom e ruim, sua luz e a sua sombra e saber discernir o que é coletivo e individual, assim como integrar as sombras ou os aspectos traumáticos da vida é de extrema importância para se ter recursos de redirecionar a rota para ser feliz, saudável e realizado.

O trabalho biográfico ajuda, portanto, conhecer sobre os elementos de cada setênio e identificar os pontos sombrios que precisam ser integrados e resignificados para se libertar do passado e seguir a vida com mais força, maturidade e liberdade.

beneficios do autoconhecimento

As fases de desenvolvimento: os setênios e as estações do ano

Gudrum Burkhard, em seu livro “Tomar a vida nas próprias mãos”, é um especialista no trabalho biográfico e o compara com a natureza. Assim como as estações de ano, a primavera seria do nascimento até os 21 anos, onde espera-se que o individuo cresça e amadureça fisicamente.  Esta fase inicia com a semente colocada na terra e a sua enorme necessidade de cuidado. 

A próxima fase seria o verão, dos 21 aos 42 anos onde o ser vivo se expande e atinge o máximo de sua vitalidade e tamanho. Nesta fase, a semente fortalece as raízes lançadas para a terra e começa a erguer o caule para a luz, tornando-o  visível para o mundo exterior. Nesta fase a alma se desabrocha e o ser vivo frutifica.

Se até os 21 a planta estava voltada para dentro do solo ou do mundo interior e suas maiores necessidades eram de água e dos nutrientes da terra, (segurança afetiva e base de confiança), após os 42 anos, ao se lançar para o mundo exterior, a planta precisa mais de calor e luz, necessidades mais espirituais do que terrenas. 

Na fase seguinte do verão, no ápice do crescimento, as plantas trocam as cores e as folhas começam a cair, dando início ao outono e ao período do leve declínio da vitalidade dos 42 aos 63 anos de idade. Após esta idade inicia o inverno, um momento de maior paciência, maturidade, espiritualidade, introspecção e doação. 

Ao observar a natureza, desta forma, podemos entender sobre o desenvolvimento humano e sobre o trabalho da biografia de Steiner, que identifica vários ciclos como: receber, trocar e doar. 

 Não se colhe um fruto maduro e saboroso sem paciência. Esta capacidade de esperar, desacelerar e apreciar a qualidade (e não a quantidade) é característica do amadurecimento integral, ou seja, das dimensões do corpo, da alma e do espírito. Saber esperar e amadurecer os potenciais de cada fase ajuda, portanto, na colheita dos melhores frutos de cada setênio. 

Cada setênio, por sua vez, é trabalhado de forma focada e profunda. Do nascimento aos 7 anos, dos 7 aos 14 anos, dos 14 aos 21 anos e assim por diante até chegar aos 63 anos, onde se estende a fase de maior maturidade (ou não!). Uma coisa é certa: não adianta somar os anos de idade para colher o fruto da sabedoria, é preciso cultivar e fazer muito trabalho interior.

Então, o futuro e sua colheita dos benefícios do autoconhecimento está nas suas mãos, Invista em você e no seu autoconhecimento. Acesse o blog da Elos360 para se conhecer mais e crie uma oportunidade para fazer a mais importante viagem que é para dentro de si mesmo;) 

Quer receber um infográfico sobre as características de cada setênio? cadastre se no site da Elos360 e me mande uma mensagem com o seu pedido 😉

Você também vai gostar...
Tagueado: , , , ,