Os prejuízos da mentira sob a visão da física quântica
15 de agosto de 2018 monica santos

A importância de se falar a verdade e os prejuízos da mentira sob a visão da física quântica

Seja grande ou pequena, a mentira faz mal. Seja por amor ou por maldade (que é fruto da ignorância) mentir prejudica a consciência de quem mente e de quem recebe a mentira.

Vou explicar. A física quântica já provou que toda matéria é feita de energia e que tudo o que se pensa, sente e faz é uma energia de consciência que forma o tecido de todas as experiências na vida.

Podemos dizer que a consciência (aquilo que tenho ciência e está sob a luz dos meus sentidos) é a força motora que movimenta tudo o que existe e acontece.

Dentro dos pressupostos dessa nova física (que é a ciência que estuda a natureza dos fenômenos da vida e do universo), existe uma realidade em ondas chamada de universo das possibilidades e uma realidade das partículas chamada de realidade dos fenômenos.

A física quântica descobriu a possibilidade de transformar realidades a partir da presença, do pensamento ou de uma postura interna. Por exemplo, aquilo que você pensa existe na quinta dimensão, transita numa quarta dimensão do espaço e tempo onde estão as ondas de possibilidades e pode se tornar um fenômeno concreto em 3D ou em três dimensões da realidade física ou do fenômeno. Entendeu?

Em outras palavras e sem nenhum segredo: a mente funciona como um imã que atrai a energia dos pensamentos que, por sua vez, navegam em ondas de possibilidade dentro de diferentes níveis de consciência. Sendo assim, quanto mais denso e fragmentado o pensamento, expressado em negatividade e individualismo (conduzido pelo ego), maior a experiência de sofrimento e escassez. (acrescente a velocidade provocada pela ansiedade e multiplique esse sofrimento!).

Por outro lado e em escala crescente de evolução, quanto mais sutil e integrado o pensamento, expressado em positividade e integração, conduzido pela essência divina, maior a experiência de plenitude e abundância – em todos os sentidos e áreas da vida. (Bem, isso só é possível com a desaceleração da velocidade que permite o centramento e harmonia das frequências vibracionais das ondas – é só pensar em estilos musicais e instrumentos de cordas!).

Mas o que tudo isso tem a ver com a mentira?

Primeiro, quantas mentiras acreditamos serem verdades e que se tornam bases sob as quais construímos nossas crenças e pensamentos que acionam nossas emoções, ações e realidade?

Quantas crenças negativas e limitantes construíram cercas, muros e armadilhas profundas que fragmentaram a nossa consciência e limitaram nosso potencial?

Segundo, quantas mentiras contamos aos outros que construíram suas próprias crenças e pensamentos e, por conseguinte, fragmentaram a sua consciência e criaram uma falsa realidade?
Terceiro, quantas mentiras contamos a nós mesmos, cegos pelo ego e movidos pela sua maior arma e alimento que é o medo e a ignorância?

O que acontece?

Quando eu minto sobre o que sinto, eu interrompo o processo de maturidade do meu ser e da relação.

Quando eu minto sobre o outro, eu provoco danos que podem ser irreversíveis e perpetuar em gerações.
Em um nível mais profundo, toda vez que contamos uma mentira, por mais inofensiva que seja, a mente recebe um feixe de consciência falsa que fragmenta e altera a consciência.

Imagine o ruído de uma vibração sonora que altera a harmonia anterior e reverbera de forma distorcida e destrutiva? Este movimento, não só enfraquece o ser enquanto self ou essência, como alimenta o ego que passa a usar a mentira como uma estratégia-ferramenta infalível para “resolver” conflitos e “atender” suas necessidades.

O que acontece, é que a mentira pode até “aliviar” ou “resolver” no momento, mas é pura ilusão do ego, o fato é que ela pesa, desfragmenta a consciência e cria outros e novos problemas conforme o tempo passa.
Não é a toa que se tem a expressão consciência pesada! Nosso corpo é formidável em dar pistas e dicas sobre o que está acontecendo por dentro. Acontece que quanto mais peso uma pessoa carrega, mas forte fica o ego e menor a sensação de desconforto. Essa dinâmica interna acontece de acordo com o nível de consciência de cada indivíduo. Se ele vibra em dimensões mais baixas de sobrevivência e enxerga apenas necessidades individuais mais básicas, é muito provável que não sinta incômodo de mentir, roubar ou até matar para conseguir o que quer. Percebe?

Uma pessoa só é capaz de entender os prejuízos da mentira, assim como a falta de integridade, quando seu nível de consciência estiver mais alto e possibilitar essa compreensão. Por isso não adianta gritar, insistir, ameaçar ou agredir qualquer pessoa! Seria como se falasse uma outra língua ou tentasse fazer com que enxergasse algo além de sua visão!

Os prejuízos da mentira reverbera no espírito, na alma e aparece no corpo. Quem mente, se aprisiona e gasta sua energia vital para acobertar a mentira. Lembra das ondas e vibrações?

A mentira impede a harmonia e a sintonia energética, o que diminui o sistema imunológico e movimenta um ciclo destrutivo vicioso de sofrimento.

Quando há buracos na consciência, acontece uma falha na força vital e uma desordem que dificulta a pessoa ser saudável e feliz.

Lógico que tudo depende da mentira e no seu poder de impacto. Entretanto, uma coisa é certa: por trás da mentira, existe uma verdade que não quer ser dita. Não estar aberto para a verdade, portanto, pode te aprisionar.

O que fazer para ser livre?

Seja autêntico. Não precisa falar do outro ou esfregar a sua verdade na cara de ninguém. Fale a verdade do que acontece dentro de você. Do que percebe, sente e precisa. Verdade com empatia, muitas vezes é melhor do que uma mentira com amor.

Cumpra suas promessas. Combinou, cumpra. Não vai conseguir cumprir, avise e renegocie antecipadamente. Não cumpriu, assuma com responsabilidade. Com certeza, é muito melhor visto do que uma enxurrada de justificativas ou mentiras deslavadas. “Eu esqueci, eu sinto muito” é melhor do que dizer “meu carro furou o pneu”.

Mentiu? O que fazer?

  1. Pergunte para si mesmo qual é a verdade que não quer dizer e por quê?
  2. Entre em contato com o medo ou demais emoções que te fez mentir e pergunte quais pensamentos e crenças os acionaram.
  3. Tome consciência do seu nível de maturidade sobre o que ganha e o que perde com a mentira.
  4. Perceba se existe espaço para redirecionar sua força e responsabilidade interna e dar espaço para a verdade
  5. Observe-se numa próxima situação parecida e escolha dizer a verdade.

Muitas vezes, o medo regride as pessoas no estado infantil. Ninguém está blindado desta possibilidade. (É humano, mas cada um pode escolher ser mais maduro).

Costumo dizer que a fonte de todo mal e sofrimento é proveniente da ignorância. Ela é fruto dos níveis mais baixos de consciência expressados pelo profundo desconhecimento da verdade. A verdade, por sua vez, é luz, quanto mais conhecimento da verdade, maior o nível de consciência, logo, menor a influência do ego. Luz é essência divina, em contrapartida da sombra da mentira e da ignorância, que em chinês é traduzida como “sem iluminação”.

O primeiro e grande passo é estar aberto para conhecer a verdade e evoluir. Essa abertura é, simplesmente, aterrorizante para um grande-ego-superalimentado-durante-muito-tempo (também não é à toa que quanto mais idade ou poder, maior o desafio de abertura!).

Para isso, é necessário uma jornada de desenvolvimento – que inclui escalar as montanhas da consciência, trilhar as estradas do autoconhecimento e sair das crateras de transformação pessoal rumo a Verdade.

Não tem outro caminho. “A verdade liberta.” Além de estar a serviço da essência divina, a verdade é a responsável pelo fortalecimento do nosso ser, que por sua vez, só é construído com autenticidade e integridade. Sem esse amadurecimento emocional e essa base moral, a empatia, a compaixão e o verdadeiro Amor ficam comprometidos e inviáveis.

A mentira está a serviço do ego. Logo, não adianta se iludir que mentiu por amor. Saiba que esse não é o Amor verdadeiro que busca atender as necessidades mais nobres da essência, mas um amor humano regido por ele: o ego! Sim, quantos não mentem para “proteger” ou “não magoar” o outro dizendo que é pelo outro. No fundo, revela-se uma dificuldade em lidar com o que a reação do outro provoca em si mesmo. Por mais que a mente tenha se colocado no lugar do outro, acaba sendo dentro de um nível baixo de consciência que cria uma relação imatura e doente.

Quanto mais autêntico forem as pessoas da relação, mais elas contribuirão para um relacionamento maduro e saudável.

Lembre-se que ser autêntico não é dizer tudo o que pensa. (Que isso fique muito claro!). A verdade é essência, é Amor, isso implica em considerar o outro assim como a si mesmo e buscar atender as necessidades do outro, assim como as suas.

Esse é o nosso desafio e exercício: Falar a verdade com amorosidade e ser autêntico sempre com empatia. Somente assim poderemos ser inteiros e libertos!

Quer fazer uma jornada de autoconhecimento para se fortalecer e ser mais livre? Conheça o curso online da Elos 360

Espero o seu feedback verdadeiro 😉

Você também vai gostar...
Tagueado: ,